Boa tarde...

Bem gente, meu espaço na uol acabou..

Criei outro blog (o endereço está aí do lado),

vou tentar fazer algo diferente...vamos ver se consigo..rs

Muito obrigada à todos pelas visitas e recados.

Beijão

Sheila

:: Postado por Sheila às 16h35
::
:: Enviar esta mensagem


Boa tarde...

Desejo um bom fim de semana pra todos...

Deixo uma música que é um poema..

Carvão

Surgiu como um clarão
Um raio me cortando a escuridão
E veio me puxando pela mão
Por onde não imaginei seguir
Me fez sentir tão bem, como ninguém
E eu fui me enganando sem sentir
E fui abrindo portas sem sair
Sonhando às cegas, sem dormir
Não sei quem é você

O amor em seu carvão
Foi me queimando em brasa no colchão
E me partiu em tantas pelo chão
Me colocou diante de um leão
O amor me consumiu, depois sumiu
E eu até perguntei, mas ninguém viu
E fui fechando o rosto sem sentir
E mesmo atenta, sem me distrair
Não sei quem é você

No espelho da ilusão
Se retocou pra outra traição
Tentou abrir as flores do perdão
Mas bati minha raiva no portão
E não mais me procure sem razão
Me deixe aqui e solta a minha mão
Eu fui fechando o tempo, sem chover
Fui fechando os meus olhos, pra esquecer
Quem é você?

(Ana Carolina)

Beijão em todos

Sheila

 

 

 

 

 

 

 

:: Postado por Sheila às 16h02
::
:: Enviar esta mensagem


Boa tarde....

Espero que seu fim de semana tenha sido muito bacana...

Li este poema no blog ( que eu recomendo)  www.sohletras.zip.net

escrito por jpmarinho.

Achei belíssimo, pedi autorização para postar ,

ele autorizou,  e  aí está... rs

 

Nebulosa

Há dias assim

Que nos faltam as palavras

O pensamento emburrece

E a lágrima não desce;

Então,

Criamos um verso sem crédito

Repetimos um verbo decrépito

Desejamos um sol que não aparece

Ou um milagre que não acontece.

 

Há dias assim

Que a gente se vê meio aéreo

E sente a garganta entalada

Com alguma coisa não explicada

Então,

Procuramos entre as tralhas do sótão

Um trilha inexistente

Uma prece remanescente

Ou as notas daquela canção.

 

Há dias assim

Que o corpo parece doentio

O juízo se torna senil

E o alento se dá ao extravio

Então,

Enfatizamos o nosso silêncio

Emborcamos os nossos sentidos

E ficamos curtindo um vazio

 

Há dias assim

Que o melhor seria só dormir.

 

(JPmarinho)

 

 

Lindo não?

 

Agora, Fernando Pessoa prá vocês...

 

 

 

Põe-me as mãos nos ombros...

Põe-me as mãos nos ombros... 
Beija-me na fronte... 
Minha vida é escombros, 
A minha alma insonte. 
Eu não sei por quê, 
Meu desde onde venho, 
Sou o ser que vê, 
E vê tudo estranho. 

Põe a tua mão 
Sobre o meu cabelo... 
Tudo é ilusão. 
Sonhar é sabê-lo.
(Fernando Pessoa)
 
Beijão em todos e uma ótima semana...
Sheila

:: Postado por Sheila às 13h24
::
:: Enviar esta mensagem


Boa noite...

Oi gente...

Ando sem tempo e sem inspiração para blogar,

mais hoje senti vontade de postar este poema

do Quintana..

 

Poema da Gare de Astapovo

O velho Leon Tolstoi fugiu de casa aos oitenta anos
E foi morrer na gare de Astapovo!
Com certeza sentou-se a um velho banco,
Um desses velhos bancos lustrosos pelo uso
Que existem em todas as estaçõezinhas pobres do mundo
Contra uma parede nua...
Sentou-se ...e sorriu amargamente
Pensando que
Em toda a sua vida
Apenas restava de seu a Gloria,
Esse irrisório chocalho cheio de guizos e fitinhas
Coloridas
Nas mãos esclerosadas de um caduco!
E entao a Morte,
Ao vê-lo tao sozinho aquela hora
Na estação deserta,
Julgou que ele estivesse ali a sua espera,
Quando apenas sentara para descansar um pouco!
A morte chegou na sua antiga locomotiva
(Ela sempre chega pontualmente na hora incerta...)
Mas talvez não pensou em nada disso, o grande Velho,
E quem sabe se ate não morreu feliz: ele fugiu...
Ele fugiu de casa...
Ele fugiu de casa aos oitenta anos de idade...
Não são todos que realizam os velhos sonhos da infância!
(Mário Quintana)
 
Para refletir....
 

Dos nossos males...


A nós bastem nossos próprios ais,
Que a ninguém sua cruz é pequenina.
Por pior que seja a situação da China,
Os nossos calos doem muito mais...
 
(Quintana)
 
 
 
Beijão em todos
 
Sheila

:: Postado por Sheila às 18h14
::
:: Enviar esta mensagem


Boa tarde...

Deixo hoje, um poema que me faz para para refletir...

 

Acontecimento

Haverá na face de todos um profundo assombro
E na face de alguns risos sutis cheios de reserva
Muitos se reunirão em lugares desertos
E falarão em voz baixa em novos possíveis milagres
Como se o milagre tivesse realmente se realizado
Muitos sentirão alegria
Porque deles é o primeiro milagre
E darão o óbolo do fariseu com ares humildes
Muitos não compreenderão
Porque suas inteligências vão somente até os processos
E já existem nos processos tantas dificuldades...
Alguns verão e julgarão com a alma
Outros verão e julgarão com a alma que eles não têm
Ouvirão apenas dizer...
Será belo e será ridículo
Haverá quem mude como os ventos
E haverá quem permaneça na pureza dos rochedos
No meio de todos eu ouvirei calado e atento, comovido e risonho

Escutando verdades e mentiras
Mas não dizendo nada
Só a alegria de alguns compreenderem bastará
Porque tudo aconteceu para que eles compreendessem
Que as águas mais turvas contêm às vezes as pérolas mais belas
(Vinicius de Moraes)
Espero que todos lembrem o verdadeiro significado da Páscoa...
Deixo uma rosa para cada um de vocês...
Beijão para todos e um ótimo feriado...
Sheila

:: Postado por Sheila às 12h40
::
:: Enviar esta mensagem


Boa tarde..

Um lindo poema pra começar bem a semana...

Coração terra que ninguém vê...

Quis ser um dia, jardineira
de um coração.
Sachei, mondei - nada colhi.
Nasceram espinhos
e nos espinhos me feri.

Quis ser um dia, jardineira
de um coração.
Cavei, plantei.
Na terra ingrata
nada criei.

Semeador da Parábola...
Lancei a boa semente
a gestos largos...
Aves do céu levaram.
Espinhos do chão cobriram.
O resto se perdeu
na terra dura
da ingratidão.

Coração é terra que ninguém vê
- diz o ditado.
Plantei, reguei, nada deu, não.
Terra de lagedo, de pedregulho,
- teu coração.

Bati na porta de um coração.
Bati. Bati. Nada escutei.
Casa vazia. Porta fechada,
foi que encontrei...

(Cora Coralina)

----------------------------------------



“Se temos de esperar, que seja para colher a semente boa
que lançamos hoje no solo da vida.
Se for para semear, então que seja para produzir
milhões de sorrisos, de solidariedade e amizade.”
(Cora Coralina)

Ótima semana pra todos vocês...

Beijosss

Sheila

:: Postado por Sheila às 11h48
::
:: Enviar esta mensagem


Bom dia

Eu sempre adorei os textos da Martha Medeiros e hoje

posto um dos melhores textos dela que já li.

Um belíssimo texto para reflexão no fim de semana...

 

A melhor resposta...

Para saber quem somos, basta que se observe o que fizemos

da nossa vida.

Os fatos revelam tudo, as atitudes confirmam .

Quem é você? Do que gosta? Em que acredita? O que deseja?

Dia e noite somos questionados, e as respostas costumam ser

inteligentes,  espirituosas e decentes.

Tudo para causar a melhor impressão aos nossos inquisidores.

Ora, quem sou eu. Sou do bem, sou honesto, sou perseverante,

sou bem-humorado, sou aberto - não costumamos economizar

atributos quando se trata da nossa própria descrição.

 Do que gostamos? De coisas belas.

No que acreditamos? Em dias melhores.

 O que desejamos? A paz universal.

Enquanto isso, o demônio dentro de nós revira

o estômago e faz cara de nojo.

 É muita santidade para um pobre-diabo, ninguém é tão imaculado assim.

A despeito do nosso inegável talento como divulgadores de nós mesmos e

da nossa falta de modéstia ao descrever nosso perfil no Orkut,

 a verdade é que o que dizemos não tem tanta importância.

Para saber quem somos, basta que se observe o que fizemos

da nossa vida. Os fatos revelam tudo, as atitudes confirmam.

O que você diz - com todo o respeito - é apenas o que você diz.

Entre a data do nosso nascimento e a desconhecida data da nossa morte,

 acreditamos ainda estar no meio do percurso, então seguimos nos

 anunciando como bons partidos, incrementamos nossas façanhas,

abusamos da retórica como se ela fosse uma espécie de photoshop

que pudesse sumir com nossos defeitos.

Mas é na reta final que nosso passado nos calará

e responderá por nós.

Quantos amigos você manteve.

Em que consiste sua trajetória amorosa.

Como educou seus filhos.

Quanto houve de alegria no seu cotidiano.

Qual o grau de intimidade e confiança que preservou com seus pais.

Se ficou devendo dinheiro.

Como lidou com tentativas de corrupção.

Em que circunstâncias mentiu.

Como tratou empregados, balconistas, porteiros, garçons.

Que impressão causou nos outros - não naqueles que o conheceram

 por cinco dias, mas com quem conviveu por 20 anos ou mais.

Quantas pessoas magoou na vida.

Quantas vezes pediu perdão.

Quem vai sentir sua falta. Pra valer, vamos lá.

Podemos maquiar algumas respostas ou podemos silenciar

sobre o que não queremos que venha à tona. Inútil.

A soma dos nossos dias assinará este inventário.

 Fará um levantamento honesto.

Cazuza já nos cutucava: suas idéias correspondem aos fatos?

De novo: o que a gente diz é apenas o que a gente diz.

Lá no finalzinho, a vida que construímos é que se revelará o mais

eficiente detector de nossas mentiras. 

(Martha Medeiros)

 

..."Nada tenho a ver com não gostar de mim.

Me aceito impura, me gosto com pecados,

e há muito me perdoei."

(Martha Medeiros)

 

Um excelente fim  de semana pra todos.

Beijossss

Sheila

:: Postado por Sheila às 14h41
::
:: Enviar esta mensagem


Boa tarde....

Espero que sua semana tenha sido muito bacana..rs

Para fechar a semana, poemas  que falam de verdades e mentiras.

Alberto Caeiro pra vocês...

 

Verdade, Mentira

Verdade, mentira, certeza, incerteza... 
Aquele cego ali na estrada também conhece estas palavras. 
Estou sentado num degrau alto e tenho as mãos apertadas 
Sobre o mais alto dos joelhos cruzados. 
Bem: verdade, mentira, certeza, incerteza o que são? 
O cego pára na estrada, 
Desliguei as mãos de cima do joelho 
Verdade mentira, certeza, incerteza são as mesmas? 
Qualquer cousa mudou numa parte da realidade
 os meus joelhos e as minhas mãos. 
Qual é a ciência que tem conhecimento para isto? 
O cego continua o seu caminho e eu não faço mais gestos. 
Já não é a mesma hora, nem a mesma gente, nem nada igual. 
Ser real é isto.
(Alberto Caeiro)
 

Não Basta

 

 Não basta abrir a janela 
 Para ver os campos e o rio. 
 Não é bastante não ser cego 
 Para ver as árvores e as flores. 
 É preciso também não ter filosofia nenhuma. 
 Com filosofia não há árvores: há idéias apenas. 
 Há só cada um de nós, como uma cave. 
 Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora; 
 E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse, 
 Que nunca é o que se vê quando se abre a janela.
 
(Alberto Caeiro)
 
 
 
Um ótimo fim de semana para todos...
 
Beijoss
 
Sheila

:: Postado por Sheila às 16h20
::
:: Enviar esta mensagem


Bom dia...

Esta semana, poemas intensos... 

Hilda Hist e Pablo Neruda...

Perfeitos....

 

Aflição de ser eu e não ser outra.
Aflição de não ser, amor, aquela
Que muitas filhas te deu, casou donzela
E à noite se prepara e se adivinha
Objeto de amor, atenta e bela.

Aflição de não ser a grande ilha
Que te retém e não te desespera.
(A noite como fera se avizinha)

Aflição de ser água em meio à terra
E ter a face conturbada e móvel.
E a um só tempo múltipla e imóvel

Não saber se se ausenta ou se te espera.
Aflição de te amar, se te comove.
E sendo água, amor, querer ser terra."

(Hilda Hist)

 

E por que haverias de querer minha alma
Na tua cama?
Disse palavras líquidas, deleitosas, ásperas
Obscenas, porque era assim que gostávamos.
Mas não menti gozo prazer lascívia
Nem omiti que a alma está além, buscando
Aquele Outro. E te repito: por que haverias
De querer minha alma na tua cama?
Jubila-te da memória de coitos e de acertos.
Ou tenta-me de novo. Obriga-me.

(Do Desejo - Hilda Hilst - 1992) 

 

Deixo uma rosa e Neruda pra vocês.... 

 

 

 

"(...)Eu era a fome e a sede, tu foste a fruta.
Eu era a dor e a ruína, tu foste o milagre.
E a ternura, leve como a água e a farinha
E a palavra mal começada nos lábios(...)"
(PABLO NERUDA
)

 

Desejo à todos uma semana intensa e plena (em todos os sentidos..rs)

Aproveito e peço desculpas aos meus amigos blogueiros pela

ausência... Mais meu dia parece que encolheu..rs, são poucas

horas pra muito trabalho.

Mais entre uma folga e outra, faço o possível para visitar todos..

Beijão e obrigada pela visita e pelo carinho...

Sheila



:: Postado por Sheila às 10h50
::
:: Enviar esta mensagem


Bom diaa...

Dois poemas maravilhosos para fechar bem a semana...

Se eu Pudesse


Se eu pudesse trincar a terra toda E sentir-lhe uma paladar,
Seria mais feliz um momento ...
Mas eu nem sempre quero ser feliz. É preciso ser de vez em quando infeliz
Para se poder ser natural...
Nem tudo é dias de sol,
E a chuva, quando falta muito, pede-se.
Por isso tomo a infelicidade com a felicidade
Naturalmente, como quem não estranha Que haja montanhas e planícies
E que haja rochedos e erva ...
O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade, Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda,
E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre,
E que o poente é belo e é bela a noite que fica...
Assim é e assim seja ...

(Alberto Caeiro)

 

 

Poemas inconjuntos:

"Hoje de manhã saí muito cedo,
Por ter acordado ainda mais cedo
E não ter nada que quisesse fazer...
Não sabia por caminho tomar
Mas o vento soprava forte, varria para um lado,
E segui o caminho para onde o vento me soprava nas costas.

Assim tem sido sempre a minha vida, e
assim quero que possa ser sempre —
Vou onde o vento me leva e não me
Sinto pensar."

(Alberto Caeiro)

´O importante não é o que fazem de nós,

mas o que nós próprios fazemos daquilo que fazem de nós`.

Jean-Paul Sartre, pensador francês

 

Um ótimo fim de semana para todos...

Beijosss

Sheila


(1905 - 1980)

:: Postado por Sheila às 07h05
::
:: Enviar esta mensagem


Bom dia...

 Espero  que o fim de semana tenha sido muito bacana.

 Hoje deixo uns pensamentos soltos, para refletir um pouco...

 

Arrependimento

Durante o fim de semana, assisti um filme que comprei a algum tempo

atrás que se chama "If Only - Antes que termine o dia".

 Este romance sempre mexe muito comigo, porque me faz refletir

sobre um sentimento muito comum: o arrependimento.

O filme conta a história de um casal de namorados, onde o rapaz deixa o

amor sempre para o segundo plano ... E num belo dia, a moça morre.

Aí ele se dá conta do quanto poderia ter feito a diferença na vida dela e

na dele, e tem a chance de reviver o dia anterior.

Seria tão bom se na vida tivessémos a oportunidade de voltar no tempo e

consertar nossos erros e enganos...

Bem, na vida não podemos consertar atitudes, palavras e ações,

o arrependimento não é susficiente para apagar as coisas que são feitas

a alguém que amamos...mais, o arrependimento serve para que

possamos aprender com os erros cometidos e mudar a forma de agir

e algumas vezes de se redescobrir..

A nossa história é construída nos detalhes do dia-a-dia, somos o resultado

das nossas ações e atitudes.

Erros e acertos nos fazem crescer e amadurecer.

O tempo não volta, mais a lágrima de ontem pode se tornar o

sorriso de amanhã...

Basta saber olhar para dentro de sí e se reconstruir.

(Sheila Guedes)

 

A genial Clarice pra vocês...

 

"(...)Estou por assim dizer vendo claramente o vazio
E nem entendo aquilo que entendo:
pois estou infinitamente maior que eu mesma,e não me alcanço.
Além do que:
Que faço dessa lucidez?
Sei também que esta minha lucidez
pode-se tornar o inferno humano
- já me aconteceu antes.(...)"

(Clarice Lispector)

 

O espaço disponivel para postagem está acabando, provavelmente

vou ter que mudar de endereço.

Depois, deixo aqui o endereço novo.

 

Desejo de coração uma semana produtiva e feliz...

Beijossss

Sheila


:: Postado por Sheila às 08h29
::
:: Enviar esta mensagem


 Bom dia...

Estou voltando com o blog...

Vou postar sempre que for possível... gosto demais deste

espaço para ficar longe dele...o blog para mim é uma terapia...

Muito obrigada pelo carinho que recebí de todos.

Hoje, deixo um poema que considero completo...em

todos os sentidos.

Drummond  pra vocês..

Mundo Grande

Não, meu coração não é maior que o mundo.
É muito menor.
Nele não cabem nem as minhas dores.
Por isso gosto tanto de me contar.
Por isso me dispo,
por isso me grito,
por isso freqüento os jornais, me exponho cruamente nas 
livrarias:
preciso de todos.

Sim, meu coração é muito pequeno.
Só agora vejo que nele não cabem os homens.
Os homens estão cá fora, estão na rua.
A rua é enorme. Maior, muito maior do que eu esperava.
Mas também a rua não cabe todos os homens.
A rua é menor que o mundo.
O mundo é grande.

Tu sabes como é grande o mundo
Conheces os navios que levam petróleo e livros, carne e algodão.
Viste as diferentes cores dos homens,
as diferentes dores dos homens,
sabes como é fácil sofrer tudo isso, amontoar tudo isso
num só peito de homem... sem que ele estale.

Fecha os olhos e esquece.
Escuta a água nos vidros,
tão calma. Não anuncia nada.
Entretanto escorre nas mãos,
tão calma! vai inundando tudo...
Renascerão as cidades submersas?
Os homens submersos - voltarão?

Meu coração não sabe.
Estúpido, ridículo e frágil é meu coração.
Só agora descubro
como é triste ignorar certas coisas.
(Na solidão de indivíduo
desaprendi a linguagem
com que homens se comunicam.)

Outrora escutei os anjos,
as sonatas, os poemas, as confissões patéticas.
Nunca escutei voz de gente.
Em verdade sou muito pobre.

Outrora viajei
países imaginários, fáceis de habitar,
ilhas sem problemas, não obstante exaustivas e convocando ao suicídio.

Meus amigos foram às ilhas.
Ilhas perdem o homem.
Entretanto alguns se salvaram e
trouxeram a notícia
de que o mundo, o grande mundo está crescendo todos os dias,
entre o fogo e o amor.

Então, meu coração também pode crescer.
Entre o amor e o fogo,
entre a vida e o fogo,
meu coração cresce dez metros e explode.
- Ó vida futura! nós te criaremos.

 (Drummond)

Deixo uma rosa...aceite, é de coração...

 "....Sairei de mim mesmo em busca das
melodias esquecidas na memória,
em busca dos instantes de total abandono e beleza,
em busca dos milagres ainda não acontecidos...."

(Vinicius de Moraes)

 

Ótimo fim de semana para todos..

Beijoss

Sheila

:: Postado por Sheila às 08h59
::
:: Enviar esta mensagem


Bom dia...

Hoje vim me despedir...

Vou parar com o blog por tempo

indeterminado....

Obrigada à todos pelo carinho deixado impressos aqui...

Beijo

Sheila

:: Postado por Sheila às 09h30
::
:: Enviar esta mensagem


Bom diaaaaa

Fim de semana chegando...rs, apesar da semana

atribulada que tive, foi uma semana muito feliz...

Hoje vou contar um episódio que passei esta semana

em sala de aula...rs

Para quem não sabe, tenho uma escola e sou

professora de História..rs

O que você quer ser quando crescer?

No primeiro dia de aula, fiz uma dinâmica na sala para conhecer

melhor os alunos e descontrair o ambiente.

Era uma turma de 6ª série, onde crianças querem ser chamadas

de tudo, menos de crianças..rs.  Bem, fizemos um círculo na sala

e propus que cada um falasse um pouco de si...as coisas que gostam

e as coisas que  os  irritavam, e quando acabavam de

falar tudo, eu fazia a pergunta....

O que você quer ser quando crescer?

O protesto foi geral. Já cresci. Não sou criança. Esse tipo de

pergunta se faz no jardim de infância, Professora!

Me mantive firme, e depois de muitos resmungos e protestos eles

foram respondendo.... Quero ser bombeiro. Eu quero ser biológa.

Comissária de bordo. Cientista.

Quero viajar o mundo todo como o Almir Klink.

Skatista profissional. Veterinário. Advogada.etc...

Depois que todos falaram, quando já me preparava para sair da sala

um deles me perguntou: E você professora?

O que quer ser quando crescer?

Todos riram porque sou baixinha..rs, 

 e a pergunta dele foi uma provocação.

Mais aí sentei novamente  pensei e respondi:

Quando crescer quero ser criança novamente.

Pensei em tudo que já desejei  ser desde criança.

Professora, veterinária, dançarina, poetisa, pediatra,

biológa, Psicológa....Ah, foram tantos  sonhos..alguns realizados

outros não. E só agora diante de um garoto de 12 anos  que percebí

que já sonhei com muita coisa e já realizei outras tantas...

Ele me olhou e falou: mais isso você já foi!

Sorri e respondi: por isso mesmo. Quero nunca parar de sonhar

e as crianças são assim. Sonham..sonham sempre sem se importar

com o tamanho deste sonho.

Tem coisa melhor do que isso?..rs

(Sheila Guedes)

 

Cora Coralina  e uma rosa que deixo pra vocês...

 

Aninha e suas pedras

Não te deixes destruir...
Ajuntando novas pedras
e construindo novos poemas.
Recria tua vida, sempre, sempre.
Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha
um poema.
E viverás no coração dos jovens
e na memória das gerações que hão de vir.
Esta fonte é para uso de todos os sedentos.
Toma a tua parte.
Vem a estas páginas
e não entraves seu uso
aos que têm sede.

Cora Coralina (Outubro, 1981)

 

Beijooooo e ótimo fim de semana pra todos.

Sheila

:: Postado por Sheila às 10h09
::
:: Enviar esta mensagem


Bom diaaa...

Estou com muito trabalho...início de ano letivo

não é fácil...mais sempre que possível venho atualizar

meu blog e visitar meus amigos...

Hoje, deixo um texto maravilhoso pra vocês.

Muito bom para reflexão...

 

...¨ NEM TUDO É FÁCIL ¨...

É difícil fazer alguém feliz,
assim como é fácil fazer triste.

É difícil dizer eu te amo,
assim como é fácil não dizer nada.

É difícil ser fiel,
assim como é fácil se aventurar.

É difícil valorizar um amor,
assim como é fácil perdê-lo para sempre.

É difícil agradecer pelo dia de hoje,
assim como é fácil viver mais um dia.

É difícil enxergar o que a vida traz de bom,
assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.

É difícil se convencer de que se é feliz,
assim como é fácil achar que sempre falta algo.

É difícil fazer alguém sorrir,
assim como é fácil fazer chorar.

É difícil colocar-se no lugar de alguém,
assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.

Se você errou,
peça desculpas...

É difícil pedir perdão?
Mas quem disse que é fácil ser perdoado?

Se alguém errou com você,
perdoa-o...

É difícil perdoar?
Mas quem disse que é fácil se arrepender?

Se você sente algo,
diga...

É difícil se abrir?
Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queira escutar?

Se alguém reclama de você,
ouça...

É difícil ouvir certas coisas?
Mas quem disse que é fácil ouvir você?!

Se alguém te ama,
ame-o...

É difícil entregar-se?
Mas quem disse que é fácil ser feliz?!

Nem tudo é fácil na vida...
Mas, com certeza, nada é impossível...
Precisamos acreditar, ter fé e lutar para que não apenas sonhemos,
Mas também tornemos todos estes desejos,
REALIDADE!

(Cecília Meireles)

 

 

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

(Tabacaria - Fernando Pessoa)

 

Beijão em todos...e obrigada pela visita..

Sheila


:: Postado por Sheila às 10h00
::
:: Enviar esta mensagem


Oi, meu nome é Sheila, tenho 35 anos, casada, mãe de duas coisas fofas..rs Seja bem vindo(a) ao meu blog... "A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade". (Drummond)

Blogs que visito

:: Areia vermelha 2
:: Anne Marie
:: Alex
:: Anne
:: André Gabriel
:: Ana Paula
:: Amandinha
:: Cris (Same)
:: Clarinha
:: Carla
:: Chris Saudade
:: Claudinha Pit
:: Deborah
:: Dani Kaya
:: Dara
:: Erika
:: Fabiana
:: Jeanne
:: Iara Loba
:: Ju
:: Iara
:: Kristinna
::
:: Marcos
:: Martinha
:: Manu
:: Nani
:: Patty
:: Silvia Daiane
:: Rose
:: Regina Bee
::
:: Seth
:: Smareis
:: Tere
:: Manuelle
:: Távola
:: Naeno
:: Lidiane
:: Marinho
:: Poetry
:: Alexandre
:: Revista Malagueta ( Alex)

Link Me





Award




 


Meus arquivos



01/04/2007 a 30/04/2007

01/03/2007 a 31/03/2007

01/02/2007 a 28/02/2007

01/01/2007 a 31/01/2007

01/12/2006 a 31/12/2006

01/11/2006 a 30/11/2006

01/10/2006 a 31/10/2006

01/09/2006 a 30/09/2006

01/08/2006 a 31/08/2006

01/07/2006 a 31/07/2006

01/06/2006 a 30/06/2006

01/05/2006 a 31/05/2006

01/04/2006 a 30/04/2006

01/03/2006 a 31/03/2006

01/02/2006 a 28/02/2006

01/01/2006 a 31/01/2006

01/12/2005 a 31/12/2005

01/11/2005 a 30/11/2005

01/10/2005 a 31/10/2005

01/09/2005 a 30/09/2005

Visitas

Créditos